The last drop, Angel Boligan

O novo modelo de gestão para o sistema de água e saneamento encontrado pelo executivo municipal, a concessão, está na ordem do dia.
Esta questão eminentemente política, tem merecido da representação partidária local um tratamento curioso.
Para além da natural defesa de posições na Assembleia Municipal, a verdade é que só o Ps tem mostrado vontade de trazer para fora das paredes do edifício camarário a discussão acerca deste assunto, como prova o fórum “A água é dos nazarenos”, que extravasou claramente a militância em termos de participação.
Psd, Cdu e Be estão aparentemente acossados de um mutismo castrador que é difícil de compreender.
Noutras alturas, em situações de nível decisório difícil de influenciar, pelo menos Cdu e Bloco saíram à rua com vigor.
Do Psd, o partido com o ónus de defender esta inversão do modo de gerir, só conhecemos a recusa de discutir num formato mais próximo da população, a concessão com o Ps. Ainda assim, disponibiliza-se esta força política para trocar impressões com grupos de cidadãos, mesmo que um colega de executivo subscritor da concessão, tenha na Rádio Nazaré apontado a falta de representatividade dos mesmos grupos com que Psd admite argumentar.
O movimento de cidadãos “Águas da Nazaré”, que se saúda por ser uma clara pedrada no charco da inanimidade e que defende a manutenção da gestão pública, tem feito um trabalho aglutinador extremamente difícil pelo concelho. Uma das eventuais mais valias deste movimento, pode ser claramente a falta de “institucionalidade”, ou se quisermos, a falta de conotações que não a defesa das águas da Nazaré.
Resta saber se o movimento aceitará a porta aberta pelo Psd, passando do monólogo ao diálogo.
Avançando para o convite àquele partido no sentido da discussão, por força de justiça e isenção, Ps Cdu e Be terão que ser convidados e já sabemos que Psd não discutirá esta matéria, pelo menos com os socialistas.
A novidade surge finalmente da Rádio Nazaré.
Apesar de em termos de informação política o especial autarquias estar capturado, a estação nazarena lançou o repto da defesa de pontos de vista aos microfones, à vez, evitando-se a “confusão” do debate.
A estranheza vem do facto de quem propõe a mudança e se deve justificar, o Psd, estar agendado para ser, não a primeira força, mas a última, e no espaço de cerca de quarenta minutos, além da concessão do sistema de águas e saneamento a privados, ser suposto abordar orçamento, plano plurianual de investimento para 2012, balanço de 2011 e perspectivas para 2012.
Corolário? De fora fica, claro, o movimento “Águas da Nazaré” – Sic Transit Gloria Nazare.

Anúncios